TEMA: Os desafios de ser uma pessoa com deficiência no Brasil

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

TEMA: Os desafios de ser uma pessoa com deficiência no Brasil

Mensagem por EduMiller em Seg Maio 01, 2017 10:36 am

Desde a Antiguidade Clássica, indivíduos portadores de necessidades especiais sofriam nas mãos de algumas sociedades, como a espartana, sendo excluídos e, até mesmo, mortos. Nesse quesito, o Brasil evoluiu, porém, os deficientes ainda sofrem com dificuldades em se locomover para os mais diversos lugares e em conseguirem empregos, para que possam se sustentar. É necessário, portanto, uma preocupação e sensibilização com essas pessoas, afim de alcançarmos uma melhora na mobilidade e na taxa de emprego entre eles.

Os obstáculos físicos e a dificuldade de acessibilidade encontrados pelos deficientes são um grande desafio. Isso pode ser ilustrado através de um acidente ocorrido no metrô de São Paulo, em 2014, onde uma cadeirante caiu e sofreu ferimentos ao ser transportada na escada rolante, por uma funcionária. Além de escadas, a existência de outros elementos no inventário urbano, como ressaltos, buracos e postes e/ou placas em calçadas estreitas, aterrorizam os deficientes, que podem se machucar física e psicologicamente, por se sentirem envergonhados e humilhados. Dessa forma, muitos deficientes evitam sair desacompanhados, o que gera grande dependência para com outras pessoas – familiares, amigos, etc.

Ademais, o mercado de trabalho tem um olhar preconceituoso voltado para os deficientes. Isso é demonstrado através das elevadas taxas de desemprego entre os portadores de alguma necessidade especial. Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), em 2013, apenas 0,73% dos deficientes brasileiros estavam em uma relação de emprego. Isso ocorre pelo fato dos empregadores terem idealizado, em suas mentes, o deficiente como alguém dependente para realizar tarefas ou, até mesmo, lerdo. Assim, é fundamental que esse pensamento desapareça, para a normalização da vida dessas pessoas.

Portanto, é notório que são muitas as dificuldades enfrentadas por um deficiente no Brasil, as quais vão desde a locomoção, até o setor de trabalho. Sendo assim, o governo deve aumentar a realização de obras no espaço público e exigir de grandes espaços privados a sensibilização com a causa, visando uma melhor acessibilidade desses indivíduos, por meio de rampas, alargamento e nivelamento das calçadas, e elevadores. Além disso, o governo também deve reforçar e ampliar, até mesmo aos pequenos comércios e às pequenas empresas, leis como a Lei de Cotas, que objetivam a contratação de pessoas especiais. Dessa maneira, nosso Brasil estará cada vez mais distante das civilizações antigas e mais próximo de um lugar onde os deficientes são respeitados da devida forma.

EduMiller
Aprendiz
Aprendiz

Mensagens : 1
Pontos : 3
Data de inscrição : 01/05/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TEMA: Os desafios de ser uma pessoa com deficiência no Brasil

Mensagem por Francis Bacon em Seg Maio 15, 2017 2:52 am

Desde a Antiguidade Clássica, indivíduos portadores de necessidades especiais sofriam nas mãos de algumas sociedades, como a espartana, sendo excluídos ou[] até mesmo[] mortos. Nesse quesito, o Brasil evoluiu, porém, os deficientes ainda sofrem com dificuldades em se locomover para os mais diversos lugares e em conseguirem empregos, para que possam se sustentar. É necessário, portanto, uma preocupação e sensibilização com essas pessoas, a[]fim de alcançarmos uma melhora na mobilidade e na taxa de emprego entre eles.

Os obstáculos físicos e a dificuldade de acessibilidade encontrados pelos deficientes são um grande desafio. Isso pode ser ilustrado através de um acidente ocorrido no metrô de São Paulo, em 2014, onde uma cadeirante caiu e sofreu ferimentos ao ser transportada na escada rolante[] por uma funcionária. Além de escadas, a existência de outros elementos no inventário urbano, como ressaltos, buracos e postes e/ou[!] placas em calçadas estreitas, aterrorizam os deficientes, que podem se machucar física e psicologicamente[] por se sentirem envergonhados e humilhados. Dessa forma, muitos deficientes evitam sair desacompanhados, o que gera grande dependência para com outras pessoas – familiares, amigos[] etc.

Ademais, o mercado de trabalho tem um olhar preconceituoso voltado para os deficientes. Isso é demonstrado através das elevadas taxas de desemprego entre os portadores de alguma necessidade especial. Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), em 2013, apenas 0,73% dos deficientes brasileiros estavam em uma relação de emprego. Isso ocorre pelo fato dos empregadores terem idealizado, em suas mentes, o deficiente como alguém dependente para realizar tarefas[A = mas você não abordou no primeiro parágrafo do desenvolvimento que os deficientes são dependentes? Explique melhor a sua ideia pois está incoerente!] ou, até mesmo, lerdo. Assim, é fundamental que esse pensamento desapareça[] para a normalização da vida dessas pessoas.

Portanto, é notório que são muitas as dificuldades enfrentadas por um deficiente no Brasil, as quais vão desde a locomoção, até o setor de trabalho[? = releia]. Sendo assim, o governo deve aumentar a realização de obras no espaço público[E] e exigir de grandes espaços privados a sensibilização com a causa, visando uma melhor acessibilidade desses indivíduos[] por meio de rampas, alargamento e nivelamento das calçadas[] e elevadores. Além disso, o governo também deve reforçar e ampliar[] até mesmo[R] aos pequenos comércios e às pequenas empresas[F = você não abordou esse problema em seu texto], leis como a Lei de Cotas, que objetivam a contratação de pessoas especiais[R = isso já existe.]. Dessa maneira, nosso Brasil estará cada vez mais distante das civilizações antigas e mais próximo de um lugar onde os deficientes são respeitados da devida forma.

Nota:
I
140
Você atingiu 70% da pontuação prevista para a Competência 1, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir.
O participante demonstra bom domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa e de escolha de registro, com poucos desvios gramaticais e de convenções da escrita, ou seja, apresenta um texto com boa estrutura sintática, com poucos desvios de pontuação, de grafia e de emprego do registro exigido.
II
200
Você atingiu 100% da pontuação prevista para a Competência 2, atendendo aos critérios definidos a seguir.
O participante desenvolve o tema por meio de argumentação consistente, a partir de um repertório sociocultural produtivo e apresenta excelente domínio do texto dissertativo-argumentativo, ou seja, em seu texto, o tema é desenvolvido de modo consistente e autoral, por meio do acesso a outras áreas do conhecimento, com progressão fluente e articulada ao projeto do texto.
III
160
Você atingiu 80% da pontuação prevista para a Competência 3, atendendo aos critérios definidos a seguir.
Em defesa de um ponto de vista, o texto apresenta informações, fatos e opiniões relacionados ao tema, de forma organizada, com indícios de autoria, ou seja, os argumentos, embora ainda possam ser previsíveis, estão organizados e relacionados de forma consistente ao ponto de vista defendido e ao tema proposto, e há indícios de autoria.
IV
160
Você atingiu 80% da pontuação prevista para a Competência 4, atendendo aos critérios definidos a seguir.
O participante articula as partes do texto com poucas inadequações e apresenta repertório diversificado de recursos coesivos.
V
140
Você atingiu 70% da pontuação prevista para a Competência 5, atendendo parcialmente aos critérios definidos a seguir.
O participante elabora bem proposta de intervenção relacionada ao tema, decorrente da discussão desenvolvida no texto, articulada e abrangente, ainda que sem suficiente detalhamento.
Aviso:
*Lembre-se de que a quebra de linha presente entre os parágrafos deste fórum é somente para facilitar a leitura do texto. No ENEM, a paragrafação deverá ser feita sem quebra de linha, apenas com o espaçamento entre a margem e o início de cada parágrafo.*
Legenda de Erros:
[!]
Evite
[A]
Argumentação
[D]
Descritivo
[F]
Fuga de Tema ou Tese
[N]
Norma Culta
[P]
Prolixo
[?]
Confuso
[C]
Conectivo
[E]
Explique/Explicite
[G]
Gênero Textual
[R]
Repetido


[!] = expressão não indicada por conter possível: clichê; cacofonia; preciosismo; pleonasmo; redundância; queísmo; período longo; preconceito; esteriótipo, generalização; cópia de outros textos.
[?] = o trecho contém problemas na interpretação (releia) (COERÊNCIA): ambiguidade; difícil entendimento; ausência de sentido lógico.
[A] = o trecho contém falhas técnicas na argumentação: explicação carece de comprovação (informação fatídica); argumentação descritiva ou sem ideia conclusiva (o que você está defendendo?!); sequência argumentação/explicação não possui lógica ou possui lógica falaciosa (Ex.: de acordo com a Biologia, toda laranja é amarela > laranja é uma fruta > limão também é uma fruta > logo, todo limão também é amarelo???);
[C] = o trecho contém problemas nos elementos de sequenciação (COESÃO): ausência ou repetição de conectivo ligando períodos; uso incorreto do elemento coesivo (conjunção) em relação à sequência justaposta de períodos e o seu significado.
[D] = o trecho tende para a descrição sobre a proposta, apresentando caráter mais descritivo que argumentativo (Ex.: tema: violência contra a mulher: o candidato descreve o transcorrer do feminicídio ao longo da história enumerando informações detalhadas, mas não desenvolve o problema de fato).
*lembre-se de que uma informação fatídica, quando sozinha, não sustenta totalmente o argumento, é preciso explicitar como ela se desenvolve em problema a partir do seu ponto de vista*.
[E] = sentença com sentido desconhecido ou incompleto: informação incompleta (de que? quem? do que? o que? pra que/quem? qual/quais? pelo que? por quem? como???); informação muito específica; sigla sem o nome por extenso previamente identificado.
*o corretor não vai parar sua correção para procurar o significado do que você quis dizer*
[F] = o trecho contém falha na abordagem do tema sugerido: desenvolve de maneira superficial o tema sugerido ou aprofunda tópicos relacionados ao assunto do tema, mas não na proposta propriamente dita (foque na proposta do tema, e não no assunto); desenvolve uma ideia ao longo do texto que não explicitada na tese da introdução; soluciona um problema na proposta de intervenção que não foi trabalhado ao longo do desenvolvimento no texto.
[G] = o trecho apresenta falha no gênero dissertativo-argumentativo: tese rasa ou não explícita; prolongamento da tese no desenvolvimento; paragrafação em sequência diferente do padrão (intro. > desenv. > concl.); argumento com verbo em 1ª ou 2ª pessoa; proposta de intervenção conjugada em tempo verbal diferente do imperativo afirmativo.
[N] = o trecho contém palavra ou expressão com traço de informalidade: erro ortográfico; gíria; linguagem popular.
[P] = o trecho contém informação desnecessária: prolongamento irrelevante de seu conteúdo; argumentos abundantes; informações altamente detalhadas; informações postas em demasia.
[R] = o trecho contém termos repetidos ao longo do texto: palavras (COESÃO); ideias (COERÊNCIA). Proposta de intervenção já existente na realidade atual.

_________________
avatar
Francis Bacon
Corretor
Corretor

Mensagens : 675
Pontos : 805
Data de inscrição : 13/02/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum