TEMA: Os limites da liberdade de expressão no mundo contemporâneo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

TEMA: Os limites da liberdade de expressão no mundo contemporâneo

Mensagem por guil em Dom Mar 12, 2017 2:07 pm

A liberdade de expressão é um direito constitucional assegurado ao indivíduo, desde que este não incite ou apoie a violência ao próximo. Com a difusão das redes sociais vê-se frequentemente esse direito extrapolado, sendo externados preconceitos, tais como misoginia, racismo, xenofobia, entre outros. Essa intolerância é reflexo da falta de empatia pelo outro e do desconhecimento de que certas ações se configuram como crimes cibernéticos.

Ademais, a sociedade atual é em primazia individualista e hedonista, sendo incapaz de esboçar o mínimo de empatia pelo próximo. Há uma grande dificuldade em aceitar as diferenças, sejam estas expressas em opiniões, etnias, religiões e orientações políticas.

Atualmente as pessoas veem na internet uma forma de escapismo, uma maneira de exteriorizar a inconformidade com as diferenças. Essa postura é endossada pela falsa sensação de anonimato que o ciberespaço oferece, bem como pela ignorância de que há leis que contemplam tais condutas como crime, passíveis de serem julgados e o agressor condenado.

Portanto a liberdade de comunicação é um direito inerente a todos, sendo regulada por limites que possibilitam assim um convívio harmônico em sociedade. Como forma de mitigar a intolerância, que em grande parte advém da internet, deve-se introduzir nos colégios o ensino da sociologia, de modo que os jovens possam compreender o indivíduo e suas relações sociais. Quanto ao cibercrime, deve-se fazer uma coalizão entre mídia e escolas de modo a realizar ações socioeducativas visando conscientizar a população quanto ao impacto de suas ações na esfera digital. Sendo assim, seria possível reatar o pacto social que é atinente àqueles que vivem em sociedade.

guil
Aprendiz
Aprendiz

Mensagens : 4
Pontos : 10
Data de inscrição : 07/03/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TEMA: Os limites da liberdade de expressão no mundo contemporâneo

Mensagem por Francis Bacon em Ter Mar 21, 2017 9:54 pm

A liberdade de expressão é um direito constitucional assegurado ao indivíduo, desde que este não incite ou apoie a violência ao próximo. Com a difusão das redes sociais[,] vê-se frequentemente esse direito extrapolado, sendo externados preconceitos, tais como misoginia, racismo, xenofobia entre outros. Essa intolerância é reflexo da falta de empatia pelo outro e do desconhecimento de que certas ações se configuram como crimes cibernéticos.

Ademais, a sociedade atual é[,] em primazia[,] individualista e hedonista, sendo incapaz de esboçar o mínimo de empatia pelo próximo. Há uma grande dificuldade em aceitar as diferenças, sejam estas expressas em opiniões, etnias, religiões e orientações políticas.[D]

Atualmente[,] as pessoas veem na internet uma forma de escapismo, uma maneira de exteriorizar a inconformidade com as diferenças. Essa postura é endossada pela falsa sensação de anonimato que o ciberespaço oferece[] bem como pela ignorância de que não há leis que contemplam tais condutas como crime[] passíveis de serem julgados e o agressor condenado.[A]

Portanto[,] a liberdade de comunicação é um direito inerente a todos, sendo regulada por limites que possibilitam[,] assim[,] um convívio harmônico em sociedade.[F][?] Como forma de mitigar a intolerância, que em grande parte advém da internet, deve-se introduzir[E] nos colégios o ensino da sociologia[] de modo que os jovens possam compreender o indivíduo e suas relações sociais. Quanto ao cibercrime, deve-se fazer uma coalizão entre mídia e escolas de modo a realizar ações socioeducativas visando conscientizar a população quanto ao impacto de suas ações[E][?] na esfera digital. Sendo assim, seria possível reatar o pacto social[E] que é atinente àqueles que vivem em sociedade.

Nota:

I
160
O participante demonstra bom domínio da norma-padrão, apresentando poucos desvios gramaticais leves e de convenções da escrita. Assim, o mesmo desvio não ocorre em várias partes do texto, o que revela que as exigências da norma-padrão foram incorporadas aos seus hábitos linguísticos e os desvios foram eventuais. Desvios mais graves, como a ausência de concordância verbal ou nominal, não impedem que a redação receba essa pontuação, desde que não se repitam regularmente no texto. Assim, o participante que realizar poucos desvios leves ou pouquíssimos desvios graves pode receber essa pontuação.
II
160
O participante desenvolve bem o tema, mas não explora os seus aspectos principais. Desenvolve uma argumentação consistente e apresenta bom domínio do tipo textual dissertativo-argumentativo, mas não apresenta argumentos bem desenvolvidos. Os argumentos defendidos não ficam restritos à reprodução das ideias contidas nos textos motivadores nem a questões do senso comum.
III
160
O participante seleciona, organiza e relaciona informações, fatos, opiniões e argumentos pertinentes ao tema proposto de forma consistente, em defesa de seu ponto de vista. Explicita a tese, seleciona argumentos que possam comprová-la e elabora conclusão ou proposta que mantenha coerência com a opinião defendida na redação. Entretanto, os argumentos utilizados são previsíveis. Não há cópia de argumentos dos textos motivadores.
IV
180
O participante articula as partes do texto, sem inadequações na utilização dos recursos coesivos. A redação enquadrada neste nível não poderá conter: frases fragmentadas que comprometam a estrutura lógico gramatical; sequência justaposta de ideias sem encaixamentos sintáticos; ausência de paragrafação; frase com apenas oração subordinada, sem oração principal. Poderá, porém, conter eventuais desvios de menor gravidade: emprego equivocado do conector; emprego do pronome relativo sem a preposição, quando obrigatória; repetição ou substituição inadequada de palavras sem se valer dos recursos oferecidos pela língua. Entretanto, o mesmo erro não poderá se repetir, uma vez que essa pontuação deve ser atribuída ao participante que demonstrar pleno domínio dos recursos coesivos.
V
140
O participante elabora proposta de intervenção clara, relacionada à tese e bem articulada com a discussão desenvolvida no texto. São explicitados os meios para realizá-la.
Aviso:
*Lembre-se de que a quebra de linha entre os parágrafos, presente nesse fórum, é somente para facilitar a leitura do texto. No ENEM, a paragrafação deverá ser feita sem quebra de linha, apenas com o espaçamento entre a margem e o início de cada parágrafo.*
Legenda de Erros:
[!]
Evite
[A]
Argumentação
[D]
Descritivo
[F]
Fuga de Tema ou Tese
[N]
Norma Culta
[P]
Prolixo
[?]
Confuso
[C]
Conectivo
[E]
Explique/Explicite
[G]
Gênero Textual
[R]
Repetido


[!] = expressão não indicada por conter possível: clichê; cacofonia; preciosismo; pleonasmo; redundância; queísmo; período longo; preconceito; esteriótipo.
[?] = o trecho contém problemas na interpretação (releia) (COERÊNCIA): ambiguidade; difícil entendimento; ausência de sentido lógico.
[A] = o trecho contém falhas técnicas na argumentação: explicação carece de comprovação (informação fatídica); explicação carece de fonte; sequência argumentação/explicação possui lógica falaciosa (Ex.: de acordo com a Biologia, toda banana é amarela, logo todo limão também é);
[C] = o trecho contém problemas nos elementos de sequenciação (COESÃO): ausência de conectivo ligando períodos; uso incorreto do elemento coesivo (conjunção) em relação à sequência de períodos e seu significado.
[D] = o trecho tende para a descrição sobre o tema, apresentando caráter mais descritivo que argumentativo (Ex.: tema: violência contra a mulher: o candidato descreve o transcorrer do feminicídio ao longo da história, enumerando informações detalhadas, mas não desenvolve o problema de fato).
*lembre-se de que uma informação fatídica, quando sozinha, não sustenta totalmente o argumento, é preciso explicitar como ela se desenvolve em problema a partir do seu ponto de vista*.
[E] = sentença com sentido desconhecido ou incompleto: informação muito específica; informação incompleta (de que, quem, do que, o que, pra que/quem, qual/quais, pelo que, como???).
*o corretor não vai parar sua correção para procurar o significado do que você quis dizer*
[F] = o trecho contém falha na abordagem do tema sugerido: desenvolve de maneira superficial o tema sugerido ou aprofunda tópicos relacionados ao assunto do tema, mas não na proposta dele propriamente dita (foque no tema da proposta, e não no assunto); desenvolve uma ideia ao longo do texto que não explicitada na tese da introdução; soluciona um problema na proposta de intervenção que não foi trabalhado ao longo do desenvolvimento no texto.
[G] = o trecho apresenta falha no gênero dissertativo-argumentativo: tese rasa ou não explícita; paragrafação em sequência diferente do padrão (intro. > desenv. > concl.); verbo em 1ª ou 2ª pessoa; proposta de intervenção conjugada em tempo verbal diferente do imperativo afirmativo.
[N] = o trecho contém palavra ou expressão com traços de informalidade: erros ortográficos; gírias; linguagem popular.
[P] = o trecho contém informação desnecessária: prolongamento irrelevante de seu conteúdo; argumentos abundantes; informações altamente detalhadas; informações postas em demasia.
[R] = o trecho contém termos repetidos: palavras (COESÃO); ideias (COERÊNCIA).

_________________
avatar
Francis Bacon
Corretor
Corretor

Mensagens : 842
Pontos : 978
Data de inscrição : 13/02/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TEMA: Os limites da liberdade de expressão no mundo contemporâneo

Mensagem por guil em Seg Abr 10, 2017 7:25 pm

Muito obrigado! Smile

guil
Aprendiz
Aprendiz

Mensagens : 4
Pontos : 10
Data de inscrição : 07/03/2017

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum