TEMA: Os limites da liberdade de expressão no mundo contemporâneo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

TEMA: Os limites da liberdade de expressão no mundo contemporâneo

Mensagem por Jean.luizsp em Dom Mar 05, 2017 2:50 pm

Após anos de censura, no período ditatorial, os brasileiros conquistaram a liberdade de expressão, assegurada pela Constituição Federal de 1988. A Carta Magna é apelidada de Constituição Cidadã, reinstalando no país a democracia e com ela diversas garantias de liberdade, igualdade e direitos sociais. Hoje em dia, os cidadãos podem expressar de maneira livre as suas ideias e pensamentos e com o rápido desenvolvimento da tecnologia foi facilitado esse exercício, através das diversas redes sociais. Mas, muitas pessoas tem abusado dessas facilidades e como consequência tem desrespeitado outros indivíduos, em total afronta à diversidade de opiniões e se sentem protegidos pelo fato de estar atrás de seus aparelhos eletrônicos.
Os brasileiros, mais do que nunca, têm debatido questões políticas, sociais e culturais graças aos acontecimentos que vêm movimentando o país na última década. A política do Brasil vem sendo desmascarada e políticos conhecidíssimos têm sido investigados e condenados, fato inédito no país. Pesquisas feitas pelo Comunica que Muda, com o objetivo de monitorar as intolerâncias nas redes sociais, apontam que o maior número de intolerâncias é relacionada a política e a negatividade dos comentários do tema é de 97,4%. As pessoas não respeitam o pluralismo político, um dos fundamentos da República Federativa do Brasil, e grande parte dos comentários são ofensivos, desrespeitando fortemente as opiniões diversas. Não há diálogo, mas críticas severas, grosserias e muita falta de respeito.
Além disso, os debates há um tempo atrás, eram feitos pessoalmente e não como é hoje, onde as pessoas estão protegidas por suas telas, e se comunicam de maneira que não teriam coragem de fazer cara a cara. Muitas pessoas que não se aventuravam em debates políticos, têm argumentado em páginas e fóruns do assunto, em grande parte das vezes sem conhecimento e apenas discursos de ódio, por se sentirem seguras com a tecnologia. Os discursos de ódio têm se tornado cada dia mais comuns e são justificados pela liberdade de expressão.
É necessário levar em consideração que todos possuem opiniões diferentes e devem ser respeitadas. É preciso refletir sobre os ensinamentos do professor Leandro Karnal, de que é possível ser crítico sem destruir e o diálogo sempre será a melhor solução. Este exercício da democracia é saudável, debater sobre a administração pública mostra o desenvolvimento do regime político no país, mas respeitar os demais revela algo ainda muito maior, o progresso da humanidade.

Jean.luizsp
Aprendiz
Aprendiz

Mensagens : 3
Pontos : 9
Data de inscrição : 05/03/2017
Idade : 25
Localização : Curitiba

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TEMA: Os limites da liberdade de expressão no mundo contemporâneo

Mensagem por Francis Bacon em Qui Mar 09, 2017 8:48 pm

Após anos de censura[] no período ditatorial, os brasileiros conquistaram a liberdade de expressão, assegurada pela Constituição Federal de 1988. A Carta Magna é apelidada de Constituição[1] Cidadã, reinstalando no país a democracia e com ela diversas garantias de liberdade, igualdade e direitos sociais. Hoje em dia[1], os cidadãos podem expressar de maneira livre as suas ideias e pensamentos[,][C = uma vez que][,] com o rápido desenvolvimento da tecnologia[,] foi-lhes facilitado tal exercício[] através por meio das diversas redes sociais. Mas, muitas pessoas têm abusado dessa facilidade e[,] como consequência[,] têm desrespeitado outros indivíduos[] em total afronta à diversidade de opiniões[,] sentindo-se protegidos pelo fato de estarem atrás de seus aparelhos[1] eletrônicos.

Os brasileiros, mais do que nunca[1], têm debatido questões políticas, sociais e culturais graças aos acontecimentos que vêm movimentando o país na última década. A política do Brasil vem sendo desmascarada[,] e políticos conhecidíssimos têm sido investigados e condenados, fato inédito no país[TP]. Pesquisas feitas pelo Comunica que Muda, com o objetivo de monitorar as intolerâncias nas redes sociais[] apontam que o maior número de intolerâncias é relacionada a política e a negatividade dos comentários do tema é de 97,4%. As pessoas não respeitam o pluralismo político, um dos fundamentos da República Federativa do Brasil, sendo grande parte dos comentários ofensivos, desrespeitando fortemente as opiniões diversas. Não há diálogo, mas críticas severas, grosserias e muita falta de respeito.

Além disso, os debates[,] há um tempo atrás, eram feitos pessoalmente e não como é hoje, onde[1] as pessoas estão protegidas por suas telas[] e se comunicam de maneira que não teriam coragem de fazer cara a cara. Muitas pessoas[R] que não se aventuravam em debates políticos[] têm argumentado em páginas e fóruns do assunto, em grande parte das vezes sem conhecimento e apenas discursos de ódio, por se sentirem seguras com a tecnologia. Os discursos de ódio têm se tornado cada dia mais comuns e são justificados pela liberdade de expressão.[?]


[C]É necessário levar em consideração que todos possuem opiniões diferentes e devem ser respeitadas.[C] É preciso refletir sobre os ensinamentos do professor Leandro Karnal: que é possível ser crítico sem destruir[,] e que o diálogo sempre será a melhor solução.[C] Este exercício da democracia é saudável[,][C][,] debater sobre a administração pública mostra o desenvolvimento do regime político no país, mas respeitar os demais revela algo ainda muito maior, o progresso da humanidade.

Nota:
 
I
100
O participante demonstra domínio adequado da norma-padrão, apresentando alguns desvios gramaticais graves e de convenções da escrita, ou muitos desvios leves. Assim, há certos desvios que ocorrem em várias partes do texto, revelando que um ou mais aspectos da norma-padrão ainda não foram incorporados aos seus hábitos linguísticos. Desvios mais graves, como a ausência de concordância verbal ou nominal, não impedem que a redação receba essa pontuação, desde que não configurem falta de domínio absoluto do padrão da linguagem escrita formal. Assim, o participante que realizar alguns desvios graves ou gravíssimos, ou muitos desvios leves, pode receber essa pontuação.
II
200
O participante desenvolve muito bem o tema, explorando os seus principais aspectos. A redação contém uma argumentação consistente, revelando excelente domínio do tipo textual dissertativo-argumentativo. Isso significa que o texto está estruturado, por exemplo, com: uma introdução, em que a tese a ser defendida é explicitada; argumentos que comprovam a tese, distribuídos em diferentes parágrafos; um parágrafo final com a proposta de intervenção funcionando como uma conclusão. Além disso, os argumentos defendidos não ficam restritos à reprodução das ideias contidas nos textos motivadores nem a questões do senso comum.
III
160
O participante seleciona, organiza e relaciona informações, fatos, opiniões e argumentos pertinentes ao tema proposto de forma consistente, em defesa de seu ponto de vista. Explicita a tese, seleciona argumentos que possam comprová-la e elabora conclusão ou proposta que mantenha coerência com a opinião defendida na redação. Entretanto, os argumentos utilizados são previsíveis. Não há cópia de argumentos dos textos motivadores.
IV
80
O participante articula as partes do texto, porém com muitas inadequações na utilização dos recursos coesivos. A redação enquadrada neste nível poderá conter desvios, como: frases fragmentadas que comprometam a estrutura lógico gramatical; sequência justaposta de ideias sem encaixamentos sintáticos; ausência de paragrafação; frase com apenas oração subordinada, sem oração principal. Poderá conter também desvios de menor gravidade: emprego equivocado do conector; emprego do pronome relativo sem a preposição, quando obrigatória; repetição desnecessária de palavras ou substituição inadequada sem se valer dos recursos de substituição oferecidos pela língua. Esta pontuação deve ser atribuída ao participante que demonstrar pouco domínio dos recursos coesivos.
V
100
O participante elabora proposta de intervenção relacionada ao tema, mas pouco articulada à discussão desenvolvida no texto. Desenvolvimento mediano dos meios para realizá-la.
Aviso:
*Lembre-se de que a quebra de linha entre os parágrafos, presente nesse fórum, é somente para facilitar a leitura do texto. No ENEM, a paragrafação deverá ser feita sem quebra de linha, apenas com o espaçamento entre a margem e o início de cada parágrafo.*
Legenda de Erros:
         
[!]
Evite
[C]
Conectivo
[F]
Fuga de Tema ou Tese
[N]
Norma Culta
[R]
Repetição


[?]
Confuso
[E]
Explique/Explicite
[G]
Gênero Textual
[PD]
Parágrafo Descritivo
[TP]
Trecho Prolixo

[!] = expressão não indicada por conter possível: clichê; cacofonia; preciosismo; pleonasmo; redundância; generalização, queísmo.
[?] = o trecho contém problemas na interpretação (releia) (COERÊNCIA): ambiguidade; difícil entendimento; ausência de sentido lógico.
[C] = o trecho contém problemas na sequenciação (COESÃO): ausência de conectivo ligando os períodos; uso incorreto do elemento coesivo (conjunção) em relação à sequência dos períodos e o seu significado.
[E] = expressão inusual ou carece de fonte; com sentido incompleto (de que/quem, do que, pra que/quem, qual/quais, como???) (o corretor não vai parar a correção para procurar o significado do que você quis dizer).
[F] = o trecho aborda de maneira superficial o tema sugerido (foque no tema da proposta, e não no assunto): desenvolve uma ideia não explicitada na tese; soluciona um problema na proposta de intervenção que não foi trabalhado ao longo do desenvolvimento no texto.
[G] = o trecho apresenta falha no gênero dissertativo-argumentativo: tese rasa ou não explícita; parágrafo em sequência diferente do padrão (intro. > desenv. > concl.); verbo em 1ª ou 2ª pessoa; proposta de intervenção conjugada em tempo verbal diferente do imperativo afirmativo.
[N] = o trecho contém palavra ou expressão com traços de informalidade.
[PD] = o parágrafo não contém argumentação ou tende para a descrição sobre o tema (lembre-se de que fato, quando sozinho, não sustenta argumento, é preciso explicitar como ele se desenvolve em problema).
[R] = o trecho contém termos repetidos: palavras (COESÃO); ideias (COERÊNCIA).
[TP] = o trecho contém informação desnecessária: prolongamento irrelevante de seu conteúdo por meio de argumentos abundantes ou palavras postas em demasia.

_________________
avatar
Francis Bacon
Corretor
Corretor

Mensagens : 701
Pontos : 837
Data de inscrição : 13/02/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum