SEMANA 33: TEMA: Como lidar com o sedentarismo infantil no Brasil?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

SEMANA 33: TEMA: Como lidar com o sedentarismo infantil no Brasil?

Mensagem por Francis Bacon em Seg Out 10, 2016 7:01 pm

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema Como lidar com o sedentarismo infantil no Brasil?, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Texto 1


Disponível em: http://4.bp.blogspot.com/-ajgrMWt7dYw/UdW_RyKSSMI/AAAAAAAAA1M/FRY-XZ5sk8A/s264/obesidade2.gif

Texto 2

A falta de atividade física da criança urbana de hoje é considerada pelos especialistas uma das principais causas da epidemia de obesidade infantil que se dissemina em diversos países, inclusive no nosso.
Um trabalho realizado na Cidade do México mostrou que o risco de obesidade caiu 10% para cada hora de atividade física de intensidade moderada ou forte praticada diariamente pela criança. Estudo semelhante conduzido na Carolina do Sul chegou à mesma conclusão: crianças mais ativas são mais magras do que aquelas que se movimentam pouco.
O número de horas que a criança passa diante da TV, entretida com programas infantis ou videogames, está diretamente ligado ao aumento de peso. O trabalho realizado na Cidade do México encontrou um aumento de 12% no risco de desenvolver obesidade para cada hora por dia na frente da TV. Os autores concluíram que a TV aumenta o risco de obesidade não só por desviar a criança das atividades físicas, mas por induzir à ingestão de alimentos altamente calóricos.
Pesquisadores americanos e ingleses contaram o número de comerciais na televisão que anunciam doces, balas, chocolates, refrigerantes, biscoitos e outros alimentos de conteúdo energético alto e chegaram à conclusão de que, nos seus países, cada criança fica exposta a dez desses comerciais por hora. Outro trabalho comprovou que crianças de três a cinco anos submetidas a esse bombardeio diário dos anunciantes costumam escolher as guloseimas apregoadas na TV, quando são oferecidas como opção frutas e outros alimentos saudáveis.
Disponível em: http://drauziovarella.com.br/crianca-2/criancas-obesas-e-sedentarias/
 

Texto 3

O sedentarismo é a segunda causa de morte no planeta, matando cerca de 5,4 milhões de pessoas por ano. Para motivos de comparação, mata mais que o diabetes, custa duas vezes mais que a obesidade e três vezes mais que o tabagismo – tanto que é mais comum as pessoas terem familiares sedentários que fumantes.
A falta de liberdade para brincar na rua é apenas um dos fatores que indicam por que estamos mais inativos. No caso das crianças, enquanto a violência faz com que elas fiquem presas dentro de casa, os videogames, a televisão e os tablets ajudam a mantê-las ainda mais quietas e sedentárias. “O que mais explica esse fenômeno é sem dúvida a internet. Primeiro porque há um fascínio dos pais com a habilidade do filho de dois, três, quatro anos de idade de mexer com a tecnologia. Segundo porque tem a acomodação em deixar a criança na frente do computador, porque é mais seguro”, explica o médico Victor Matsudo, especialista em medicina esportiva e coordenador científico do Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul (CELAFISCS).
O desenvolvimento da tecnologia também impactou as máquinas e veículos que utilizamos no nosso dia a dia e, principalmente, no local de trabalho, diminuindo o esforço preciso para fazer determinadas tarefas. Só nos sobra um momento para compensar essa movimentação que nos era exigida nas atividades domésticas, no trabalho e no deslocamento: a hora do lazer.
Qual a necessidade de mudar esse cenário? De acordo com a iniciativa “Desenhado para o Movimento”, iniciada pela Nike em 2010 em parceria com diversas organizações, hoje é estimado que a expectativa de vida das crianças com 10 anos de idade seja menor que a de seus pais. Isso porque uma vida inativa afeta não só a saúde, mas também a economia, o desenvolvimento motor e até o desempenho escolar.
Disponível em: http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/porque-evitar-sedentarismo-788077.shtml

Texto 4


Disponível em: http://ibk.org.br/noticias/131-inatividade_fisica_despesas_inaceitaveis_totalmente_evitaveis.htm

_________________
avatar
Francis Bacon
Corretor
Corretor

Mensagens : 701
Pontos : 837
Data de inscrição : 13/02/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: SEMANA 33: TEMA: Como lidar com o sedentarismo infantil no Brasil?

Mensagem por Francis Bacon em Seg Out 10, 2016 7:03 pm

Mexa-se: verbo no imperativo, associado à prática de atividades físicas, fundamental para aqueles que almejam uma vida longa e saudável. Estar em movimento é um hábito que deve ser cultivado desde cedo na vida das pessoas, desde a infância. O que vemos nos dias de hoje, entretanto, vai, justamente, na contramão dessa ideia. Um dos grandes desafios do século XXI é encontrar maneiras de combater a apatia e o sedentarismo que tomou conta das crianças do Brasil e do mundo.

Em primeiro lugar, é válido destacar que o comportamento inerte dos menores tem diversos fatores. Isso é nítido quando, ao andar na rua, avistamos mais crianças com tablets e smartphones do que com bolas, cordas e bicicletas. Fazer essa observação não é tentar tornar a tecnologia a grande vilã da questão, pois existem outros fatores, como o aumento da violência. Na verdade, é assumir que seu desenvolvimento tem impactado de forma negativa a vida daqueles que não têm discernimento suficiente para saber a hora de sair da frente da telinha e colocar o corpo em movimento.

Outro ponto que deve ser observado são os malefícios à saúde que ele traz. Segundo dados extraídos de uma pesquisa realizada na Cidade do México, a falta de atividades físicas é um dos principais fatores que desencadeiam a obesidade ainda nessa fase da vida, influenciando, também, a diminuição da expectativa de vida e aumentando o risco de problemas cardiovasculares. Isso porque, quando uma criança troca atividades que se espera de alguém da sua idade pela televisão ou jogos online, deixa de interagir com outras pessoas e de se exercitar, prejudicando, assim, seu metabolismo e seu desenvolvimento sócio-emocional e motor.

Nesse sentido, providências precisam ser tomadas, buscando garantir uma melhor qualidade de vida para essa geração engaiolada. Em primeiro lugar, é importante destacar a função da família. Cabe aos pais o papel de estipular e ensinar a ter limites, estimulando, também, atividades ao ar livre. A grande mídia voltada para o público infantil, apesar de ser um dos fatores que desencadeiam o sedentarismo, já vem fazendo seu papel e pode continuar no mesmo caminho, promovendo anualmente corridas infantis, como a Corrida Cartoon Network e a Disney Magic Run, excelente iniciativas que incentivam as crianças a saírem de frente da TV. Apenas assim poderemos ajudar essa geração a superar a apatia e as expectativas criadas sobre ela.

modelo proposto retirado do site: descomplica.com.br

_________________
avatar
Francis Bacon
Corretor
Corretor

Mensagens : 701
Pontos : 837
Data de inscrição : 13/02/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum