TEMA: Dengue, Zika, Chikungunya – por que o Brasil não consegue acabar com o Aedes aegypti?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

TEMA: Dengue, Zika, Chikungunya – por que o Brasil não consegue acabar com o Aedes aegypti?

Mensagem por Mayara Costa em Ter Mar 29, 2016 1:04 pm

Ao final da década de 60, voltava para terras brasileiras - já que tinha sido anteriormente erradicado - um dos maiores vilões da atualidade. O descaso do governo com a saúde pública e a falta de interesse da população na eliminação do Aedes aegypti, transmissor dos vírus da dengue, zika e chinkungunya, são fatores primordiais para o alastramento do mesmo. O mosquito, que vem se mostrando cada vez mais forte, causa não apenas sintomas brandos como febre e mal estar, mas também a microcefalia em recém-nascidos.

Segundo o filósofo Immanuel Kant, “o ser humano é aquilo que a educação faz dele”. Como se sabe, a eliminação do inimigo causador de tantos problemas deve começar dentro de casa, a partir de pequenas atitudes diárias. No entanto, há uma deficiência nas informações passadas para a população, o que dificulta no entendimento e realização de medidas preventivas. A epidemia, que amedronta principalmente as grávidas devido aos casos de microcefalias em neonatos, é uma luta em que todos devem combater e, dessa forma, contribuir para extinguir o mosquito.

Nesse sentido, o Brasil ainda caminha lentamente para solucionar tal questão. A falta de investimento do Governo e do Ministério da Saúde em hospitais e saneamento básico compromete a qualidade de vida de cidadãos que, muitas vezes, vivem em condições favoráveis à reprodução do vetor. Com isso, torna-se cada vez mais distante a ideia de erradicar mais uma vez o Aedes aegypti do território brasileiro.

Em virtude do que foi mencionado, é importante que algumas medidas sejam tomadas para eliminar o problema. O Ministério da Saúde deve realizar propagandas midiáticas para que a população esteja cada vez mais ciente da sua importância na eliminação do vetor. Além disso, o Ministério da Educação deve instituir nas escolas a obrigatoriedade do ensino sobre tais doenças e seu hospedeiro, com o fito de conscientizar crianças e jovens para a retirada de água parada em suas casas. Ademais, o Governo deve investir na saúde coletiva e nas limpezas de locais públicos, visando acabar com o criadouro do mosquito.

Mayara Costa
Aprendiz
Aprendiz

Mensagens : 8
Pontos : 24
Data de inscrição : 28/03/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: TEMA: Dengue, Zika, Chikungunya – por que o Brasil não consegue acabar com o Aedes aegypti?

Mensagem por Francis Bacon em Seg Jun 06, 2016 2:16 pm

Ao final da década de 60, voltava para terras brasileiras - já que tinha sido anteriormente erradicado - um dos maiores vilões da atualidade [qual?]. O descaso do governo com a saúde pública e a falta de interesse da população na eliminação do Aedes aegypti, transmissor dos vírus da dengue, zika e chinkungunya, são fatores primordiais para o alastramento do mesmo[do mosquito ou da doença?]. O mosquito, que vem se mostrando cada vez mais forte, causando não apenas sintomas brandos como febre e mal estar, mas também a microcefalia em recém-nascidos.[o mosquito não causa nada, o vírus que causa.]

Segundo o filósofo Immanuel Kant, “o ser humano é aquilo que a educação faz dele”. Como se sabe, a eliminação do inimigo causador de tantos problemas deve começar dentro de casa, a partir de pequenas atitudes diárias. No entanto, há uma deficiência nas informações passadas para a população, o que dificulta no entendimento e realização de medidas preventivas. A epidemia, que amedronta principalmente as grávidas devido aos casos de microcefalias em neonatos, é uma luta em que todos devem combater e, dessa forma, contribuir para extinguir o mosquito.[parágrafo descritivo e de senso comum]

Nesse sentido, o Brasil ainda caminha lentamente para solucionar tal questão. A falta de investimento do Governo[qual?] e do Ministério da Saúde em hospitais e saneamento básico comprometem a qualidade de vida de cidadãos que, muitas vezes, vivem em condições favoráveis à reprodução do vetor.[eles vivem nas poças de água?] Com isso, torna-se cada vez mais distante a ideia de erradicar mais uma vez o Aedes aegypti do território brasileiro.

Em virtude do que foi mencionado, é importante que algumas medidas sejam tomadas para eliminar o problema. O Ministério da Saúde deve realizar propagandas midiáticas para que a população esteja cada vez mais ciente da sua importância na eliminação do vetor.[já tem, não?] Além disso, o Ministério da Educação deve instituir nas escolas a obrigatoriedade do ensino sobre tais doenças e seu hospedeiro, com o fito de conscientizar crianças e jovens para a retirada de água parada em suas casas.[já tem também, não?] Ademais, o Governo deve investir na saúde coletiva e nas limpezas de locais públicos, visando acabar com o criadouro do mosquito.[senso comum, não?]

Considerações finais: []

  • Geral:
  • Introdução:
  • Desenvolvimento:
  • Conclusão:

*Lembre-se de que a quebra de linha entre os parágrafos, presente nesse fórum, é somente para facilitar a leitura do texto, no ENEM, a paragrafação deverá ser feita sem quebra de linha, apenas com o espaçamento no início de cada parágrafo.*

Nota:
I120O participante demonstra domínio adequado da norma padrão, apresentando alguns desvios gramaticais graves e de convenções da escrita, ou muitos desvios leves. Assim, há certos desvios que ocorrem em várias partes do texto, revelando que um ou mais aspectos da norma padrão ainda não foram incorporados aos seus hábitos linguísticos. Desvios mais graves, como a ausência de concordância verbal ou nominal, não impedem que a redação receba essa pontuação, desde que não configurem falta de domínio absoluto do padrão da linguagem escrita formal. Assim, o participante que realizar alguns desvios graves ou gravíssimos, ou muitos desvios leves, pode receber essa pontuação.
II120O participante desenvolve de forma adequada o tema, mas apresenta uma abordagem superficial, discutindo outras questões relacionadas. Desenvolve uma argumentação previsível e apresenta domínio adequado do tipo textual dissertativo-argumentativo, mas não apresenta explicitamente uma tese, detendo-se mais no caráter dissertativo do que no argumentativo. Reproduz ideias do senso comum no desenvolvimento do tema.
III120O participante apresenta informações, fatos, opiniões e argumentos pertinentes ao tema proposto, porém os organiza e relaciona de forma pouco consistente em defesa de seu ponto de vista. As informações são aleatórias e desconectadas entre si, embora relacionadas ao tema. O texto revela pouca articulação entre os argumentos, que não são convincentes para defender a opinião do autor.
IV120O participante articula as partes do texto, porém com algumas inadequações na utilização dos recursos coesivos. A redação enquadrada neste nível poderá conter eventuais desvios, como: frases fragmentadas que comprometam a estrutura lógicogramatical; sequência justaposta de ideias sem encaixamentos sintáticos; ausência de paragrafação; frase com apenas oração subordinada, sem oração principal. Poderá conter ainda desvios de menor gravidade: emprego equivocado do conector; emprego do pronome relativo sem a preposição, quando obrigatória; repetição desnecessária de palavras ou substituição inadequada sem se valer dos recursos de substituição oferecidos pela língua. Esta pontuação deve ser atribuída ao participante que demonstrar domínio regular dos recursos coesivos.
V120O participante elabora proposta de intervenção relacionada ao tema, mas pouco articulada à discussão desenvolvida no texto.

_________________
avatar
Francis Bacon
Corretor
Corretor

Mensagens : 675
Pontos : 805
Data de inscrição : 13/02/2016

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum